Polargrafias

... sobre

Projecto

Projecto pessoal que preenche uma necessidade pessoal e individual que agora se concretiza depois da motivação estar latente durante mais de duas décadas. Na realidade é uma ocupação artística-científica, matemática-física-mecânica-informática-computação. Utiliza um conjunto muito limitado de recursos computacionais e físicos. Um polargraph é um robot com dois graus de liberdade que executa desenhos através de um processo computacional. Consiste, basicamente, numa caneta pendurada em dois fios cujos comprimentos são controlados por dois motores passo a passo. A cada par de comprimentos corresponde a um único par de coordenadas no plano do desenho e vice-versa. Parece-me a máquina mais simples que faz desenhos que podemos construir e explorar. A maioria dos desenhos são obtidos por repetição de regras simples e construídos algoritmicamente.

A máquina

A máquina é composta por: dois motores passo-a-passo, um arduino com um shiled CNC que corre o software grbl, umas peças impressas em 3D, uma placa de madeira, uma viga de madeira, fio de pesca e uma caneta BIC com diâmetro 1.6mm.

A comunidade faça-você-mesmo fica, normalmente, com os restos da industria ou do que está naquela altura na moda tecnológica superando-a.

Razões

Contra o velho preconceito romântico da inspiração, não de que ela não existe, ou "do que tu precisas é de trabalhar e depois a inspiração aparece", nada mais ortogonal. Não precisamos da inspiração porque temos algo que a substitui: a aleatoriedade. Com ela podemos ver uma infinidade de opções que a nossa imaginação ou intuição não alcança, aliás podemos mesmo afirmar que a aleatoriedade é uma porta ou passagem para a liberdade, enriquece os sentidos, encontra caminhos que gosto ou que me interessam, ao artista ou ao poeta cabe escolher um improvavelmente. Escolhe um, um local preferido.

O processo

Está sempre em abertura o processo: seja pela descoberta de um padrão novo, de uma regra computacional ou cópia de uma processo manual. Da escolha da linguagem de programação, quando as opções são muitas, normalmente usamos a que estamos mais habituados no uso de todos os dias: Octave. Depois de implementado o código o desenho é gerado em vários formatos para registo e um final para a prova de impressão em gcode: um código standard de controlo de máquinas de CNC e impressoras 3D.

A aleatoriedade, ao contrário de processos quânticos ou decaimentos radioativos, é construída por algoritmos de geração de números pseudo-aleatórios, não verdadeiramente aleatórios, mas terá de servir.

O processo criativo passa então pela simulação do objecto a ser desenhado, para vários valores ou parâmetros do qual o desenho depende e.g. um quadrado [EXPLICAR]

Criado/Created: 11-05-2022 [17:09]

Última actualização/Last updated: 14-05-2022 [11:12]


Voltar à página inicial.


GNU/Emacs Creative Commons License

(c) Tiago Charters de Azevedo