Love, death and robots

Se estávamos preocupados que robots tornassem o trabalho obsoleto agora temos mais razões para nos preocuparmos, empresas e industria vão tomar esta oportunidade para substituir tarefas exigentes executadas por "humanos imperfeitos e geradores de pouco lucro" por máquinas ou algoritmos de inteligência artificial.

Mas podemos ter algumas razões para esperança.

Com tantas pessoas ao mesmo tempo a perderem o emprego, por termos decidido cuidar dos mais vulneráveis na nossa sociedade e que foram atiradas para fora do acesso ao trabalho, foi criado um novo sentido colectivo de solidariedade e um aumento da consciência e.g. pela proposta de criação de um RBI de emergência, de que aqueles trabalhadores essenciais que mantêm a nossa vida de todos os dias a funcionar são de facto importantes e muito mal pagos.

O desemprego gerado pela evolução da epidemia pode ser entendido não como um defeito ou incapacidade dos trabalhadores mas como consequência de um desastre natural que está fora do controlo de qualquer um deles. Isto catalisará uma voz política reforçada porque de facto, como no passado, têm direito ela.

Mas o desafio permanece em tornar a mudança real nova se tomarmos o combate a esta crise económica não num "novo" esquema para salvar bancos ou instituições financeiras como aconteceu em 2008, mas para suportar o regresso a uma vida desejada pelas pessoas.

Temos o direito de exigir um acordo melhor desta vez.

Criado/Created: 05-05-2020 [09:36]

Última actualização/Last updated: 28-05-2020 [21:22]


Voltar à página inicial.


GNU/Emacs Creative Commons License

(c) Tiago Charters de Azevedo